HERALDO DO MONTE

 
       Heraldo se considera um músico eclético, e realmente o é. Tendo realizado inúmeras gravações como múscio de estúdio, ele passeia tranqüila e perfeitamente por diversos estilos, com a segurança de quem domina totalmente seu instrumento, mas sem nunca perder o caráter individual, sem nunca deixar de ser Heraldo. 
         Seu grande amor pelo Brasil, reflete-se em sua música que, com o "Quarteto Novo",  revolucionou o jeito de tocar e improvisar música Brasileira. Conta Heraldo que, eles utilizaram o jeito de improvisar do Beebop como base, retirando o excesso de notas, junto com o fraseado da música nordestina. Eles divulgaram a música nordestina no Brasil e no mundo e abriram espaço para o aparecimento de novos instrumentistas.
        Considerado por Joe Pass um dos melhores violonistas do mundo, Heraldo já tocou com vários nomes da música Brasileira e internacional, como Hermeto Pascoal, Dominguinhos, Edu Lobo, Zimbo Trio, Geraldo Vandré, Johny Alf, Michael Legrand...
        Heraldo nasceu em Recife em 1 de maio de 1935. Iniciou seus estudos musicais aprendendo solfejo na Escola Industrial de Pernambuco. Querendo tocar na banda da escola, começou a tocar clarinete, que era o instrumento que faltava na banda. Posteriormente, sentindo falta de um instrumento harmônico, migrou para o violão. Como não tinha professor, começou a aplicar o método de clarineta ao violão, montando os acordes por dedução.
        Iniciou-se profissionalmente acompanhando cantores em boates no Recife. No final da década de cinquenta, uniu-se ao pianista-organista Walter Wanderley, com quem veio para São Paulo aos 21 anos. Logo em seguida, hove um "boom" de gravações no Brasil, Heraldo participou de inúmeras delas, pois, além de sua grande técnica e talento, era um dos únicos violonistas que liam música. Trabalhou também na Orquestra da TV Tupi, onde teve contato com vários outros músicos de renome.
        A convite da Ródia, que queria música ao vivo para um desfile de moda, Heraldo uniu-se com Airto e Theo de Barros, formando assim o Trio Novo, ao qual iria se juntar Hermeto Pascoal, formando assim, o Quarteto Novo. Foi Heraldo com o  Quarteto Novo que realizou os arranjos para as músicas de Edu Lobo, como "Disparada" e "Ponteio". A convite de Edu, com o Quarteto, Heraldo parte para sua primeira tourné na Europa. O Quarteto se desfez e Heraldo voltou à sua intensa atividade de gravações e shows pelo Brasil.
        Heraldo participou dos festivais de Montreal, Montreaux, de música latina de Cuba e continua gravando e se apresentando em diversos shows.
[home] [galeria] [mais!] [intro]