HERMETO PASCOAL
"O primero som que eu fiz foi na hora em que eu nasci. Eu e minha mãe, o duo. "

       Hermeto Pascoal, o "Bruxo" é conhecido como um grande experimentador, mas sem esquecer os princípios básicos da música. Como ele mesmo diz: "A música tem três partes que são como pai, mãe e filho. O pai é o ritmo, a mãe é a harmonia e o filho é a melodia". A harmonia tem de ir antes de qualquer tema." Hermeto toca uma gama enorme de instrumentos que alia a sons pouco usuais como chaleira, sons de animais, chifre de boi,  tubos metálicos, máquina de custura... Outra faceta comum do artista é de sair tocando pela rua quando acaba um show, com a platéia seguindo-o como numa procissão.  hermeto
        Nascido em Alagoas a 22 de junho de 1936 de uma família de sanfoneiros, Hermeto começou a tocar Flauta aos oito anos de idade e, profissionalmente, em Recife quando tinha apenas 14 anos. Começou a tocar piano ainda nos anos 50 e montou um trio com seu irmão e Sivuca (todos albinos).
        Em 1964, formou o Sambrasa Trio, com Airto Moreira e o baixista Humberto Clayber. Em 1966, Airto Moreira, que tocava no "Trio Novo", com o guitarrista Heraldo do Monte e o baixista Theo de Barros convidou Hermeto para se unir ao grupo, formando assim o Quarteto Novo, um dos mais importantes grupos de música instrumental da história do País, que chegou a influenciar os Beatles. O Quarteto Novo, alia o maravilhoso balanço de Airto, os improvisos perfeitamente técnicos e líricos de Heraldo e Hermeto, com uma linguagem contemporânea, utilizando Jazz, Bi-tonalismo e rítmos nordestinos, que até então eram pouco usados na música instrumental Brasileira.
        Em 1968, Hermeto escreveu seu primeiro arranjo orquestral, para a música "Choro do Amor Vivido", de Gudin, para um dos festivais da canção da TV Record. Pouco depois, nos anos setenta, foi a convite de Airto para os Estados Unidos, onde gravou seu primeiro disco solo nos EUA, e fez ainda alguns arranjos para Miles Davis, que o convidou para participar do disco "Live Evil":
        Hermeto voltou ao Brasil em 1973 e gravou o disco "A Musica Livre De Hermeto Paschoal", retornando em 1976 para os EUA onde gravou "A missa dos escravos". Na década de oitenta, continuou fazendo apresentações e gravando discos pelo selo Som da Gente.
        Hermeto é um compositor muito prolífero, contando com umas 2.500 canções. Entre 23 de junho de 1996 e 22 de de junho de 1997, Hermeto escreveu o "Calendário do Som", são 366 músicas (uma para cada dia do ano) nos mais diversos gêneros. Hermeto compôs uma canção por dia, quando não compunha no dia, compensava com duas no dia seguinte, todas com um mínimo de 16 compassos.
        Suas composições foram interpretadas pela Orquestra Sinfônica do Brooklin, Filarmônica de Berlin, Orquestra Sinfônica de São Paulo, Jazz Sinfônica entre outras. Hermeto tem tocado com grandes nomes da música Brasileira e internacional, como Elis Regina, Ron Carter, Raul de Souza, Taiguara, participou de homenagem a Astor Piazzola em Buenos Aires, sempre com muita criatividade.

        "Só por sua enorme criatividade, Hermeto já vale ser ouvido. Sua música mostra possibilidades  que eu deveria abrir a mim mesmo para explorar." - Lyle Mays (Tecladista de Pat Metheny)

OUÇA ISSO!
Misturada
(Geraldo Vandré-Airto Moreira)
Do disco "Quarteto Novo", com Hermeto pascoal, Heraldo do Monte, Airto Moreira e Theo de Barros
p
Mais sobre Hermeto
 
[home] [galeria] [mais!] [intro]