home
QUEM TEM MEDO DE JOÃO GILBERTO.

        São Paulo, 5 /10/99
 
 

Fernão Lara Mesquita
Bigboss do JT
 
 

Esta não é uma carta de leitor, porque pretendo estender-me um pouco. Deixei passar dois dias da matéria porque a intenção não é causar polêmica, de resto, inútil. É apenas uma chamada à consciência, cujo título bem poderia ser

   QUEM TEM MEDO DE JOÃO GILBERTO.
 

Já está banalizado o discurso da mídia tentando analisar socio-antropologicamente o empobrecimento cultural do Brasil. O que acontece na TV, então, já virou piada. Até a vetusta macróbia Dona Hebe já arriscou seus palpites,  impregnados como sempre, de sua burrice lumpen: "isto é povo..."etc,etc.

Até mesmo o JT apresenta com certa freqüência suas análises iradas sobre a baixaria na TV e na mídia em geral. Curiosamente, não olha para o próprio umbigo, ao proporcionar paginas e paginas a Sr.a Palomino e gastar tinta com a supina ignorância da Sr.ta Kupfer, que sonhou ser escritora, fez curso superior e acabou num reducionismo de escrever as tolices que julga "noticia". Bem, reconheço até que isto é apenas uma pequena parte de um produto maior, chamado JT. No Marketing Mix isto faz sentido.

Na linha de promover o "sucesso", a TV e as revistas de fofocas se esmeram ao perpetuar o lumpesinato do gosto, o que não se espera do JT. Mas, isto tem acontecido com uma freqüência assustadora.
Aos fatos.

João Gilberto inaugurou o Credicard Hall. Só para convidados. Entre os convidados, um grupo seletissimo convidado por esta personalidade chamada Alicinha Cavalcanti. Esta senhora  tem pernas autônomas. Desligadas do resto do que se poderia chamar de ser humano. Assim como a Sr.ta Carla Perez tem uma bunda autônoma. Esta frase não é minha, é de Mario Chamie, a quem não se pode negar a genialidade poética e frasística.
Estes convidados deram uma puta vaia no JG. E, foram à TV justificar sua vaia, verbalizando sua atitude. Antes tivessem ficado na vaia. Seu melhor meio de expressão:zurrando. Para deleite da , soi-disant, promoter. E, da mídia, incluindo o JT.

O que se esperaria de JG? Um momento de excentricidade? É preciso ser muito burro para achar que JG sairia de sua toca para fingir que é excêntrico. Esta suposta excentricidade é apenas a recusa formal e substantiva de participar da mediocridade. JG é apenas um grande artista criador. (Apenas ??????.) Em suas raras apresentações ao vivo, o que se pode esperar
NÃO é uma excentricidade, como o JT afirmou. É a recriação. A mesma canção talvez, mas com nova harmonia, nova divisão, uma criativa emissão das palavras. Nunca será igual à de discos ou de outros shows. Se alguém quiser chamar de gênio, talvez exagere. Talvez. O que não se nega é o talento e a criatividade. Um violão. Uma voz. Nada mais. Seria esperar muito que não houvesse ventos estranhos ou microfones funcionando? JG não permite  a si mesmo sons estranhos como um baterista tentando maltratar os couros ( ou nylons) e guitarras, que, à ausência de competência harmônica, extravasam em decibéis. E isto passa por excentricidade. Nunca se ouviu falar que JG tivesse exigido centenas de toalhas, mesas de frutas, camarins com um monte de modelos-e-atrizes, garrafas e garrafas de vinho de marca determinada. Nada. João, para usar um lugar comum só quer um banquinho razoavelmente confortável e dois microfones. Funcionando. E este é o seu show. Sem nenhuma outra frescura que "faça parte do seu show". Excêntrico?

Pois é , a mídia acha. Incluindo o JT, que é implacável. Permitiu que seu repórter-crítico publicasse a profunda idiotice de "criticar"( ou abençoar , tipo boca-livre ,a apresentação desta aberração estética Titãs-Paralamas), culminando sua "matéria" com a afirmação desdentada de que "não reclamaram do som..."

E por que reclamariam?

Vamos pensar um pouco?

Falemos do Credicard Hall. Um grande empreendimento. 34 million dollars. Legal.Vamos torcer para que seja um espaço legal. A julgar pela programação já anunciada, ...sei não....

Deixemos um pouco à parte o show inaugural, com JG e Caetano.

Anuncia-se Titãs, Paralamas , Luiz Miguel (????) Barão Vermelho, Tchan, etc. A fina flor da arte brasileira, a julgar pelo gosto de seu repórter-crítico. ( e Você, Fernão, que orienta o cacete de que se faz na TV?) Esta merda toda que é a programação que seu repórter-crítico acha "da hora" está presente 18 horas ao dia na TV. De graça. Todos eles vão repetir no seu show a mesma mediocridade que exibem nos discos, onde são suportados por bons músicos, só que ninguém fica sabendo. Ao vivo , fazem covers de si mesmos, pedindo que o" público " cante e  dance junto. Com um tremendo eco e som a mil, para disfarçar sua  infantilidade musical.
Seu repórter- critico achou  legal, e num rasgo de sua auto atribuída genialidade, não resistiu a colocar o apêndice fatal: ... sem reclamar do som ..

Reclamar de que , cara pálida ???? Eles acharam ótimo. Quanto mais interferência melhor,
ventos,  ecos e decibéis, fodendo o ouvido e o bom(???) gosto da platéia.

Reflitamos um pouco sobre a musica brasileira "moderna"que seu repórter critico deve achar ducaralho, pois ninguém reclama do som.Estamos diante de quatro vertentes principais:
SERTANEJOS: Sertanejos de onde? De uma estranha combinação entre Nashville-Assuncion- Guadalajara. Eles se chamam de românticos. Dona Hebe também. De Amigos.
A Globo também .  A Globo deve estar certa. São amigos. E não se cansam de promover os amigos ( e a prole) . O resultado final é o que se vê. Um conservadorismo rastaquera, puro lugar comum, banalidade exacerbada. Já que não têm musica para apresentar, sorriem e se abraçam indulgentemente , às lágrimas . Até um parente seqüestrado serve como pretexto para a lacrimosidade lumpen destes poor-rich-men. Que já geraram dividendos. Sandy e Jr. estarão continuando a saga. Moderninhos, não ? Seu repórter-critico, deve achar o máximo, pois esta fauna NÃO reclama do som.

Por que reclamariam?

PAGODEIROS

Putamerda. Afinal, "S.Paulo se impôs aos cariocas no samba..." Que samba? Que pagode?
O que esta moçada faz é a contrafação rítmica do que fazem os jogadores de futebol.
Junte sete ou oito crioulos ( não é adjetivo. É constatação) que se remexem boleristicamente e já temos um novo grupo de pagode. É fantástica a experiência de ver a "gravação"dos discos destes rapazes. O JT deveria mandar um repórter não-deslumbrado assistir. Descrevo: o técnico de som programa uma bateria eletrónica Alesis, o XIXA no cavaquinho, um violão de sete cordas . Cinco ou seis do "grupo"vão lá e tentam batucar no que já estava gravado, e finalmente o solista  , sob um porrilhão de palpites que não são levados em consideração pelo técnico, e canta.Sob o olhar atento dos "compositores", que nem se tocam que suas composições foram radicalmente alteradas pelo técnico de som( não o diretor artistico.Este nem vai...) . Está pronto mais um sucesso. Que será indefinidamente explorado pela TV. Um "ätreta"fica na frente, os outros se rebolam dois passos atras, e isto passa por musica. O seu repórter-critico adora isto. Eles  NÃO reclamam do som.

E porque reclamariam?
 

AXE-MUSIC

Nem sei o que quer dizer isto. É um balaio de gatos com nome de desodorante. O grande hit do momento. Na esteira do descaracterizado Olodum, promoveu-se esta porra. Um verdadeiro ritual pagão(nenhuma critica. Rituais pagãos são ótimos)Desconfio até que ACM seja  o mentor intelectual desta porcaria. Seus ícones maiores são Daniela(que nunca negou ser bailarina), Ivette , a coxuda semitonada, e o , valha-me Ogun, O TCHAN. Que estará no Credicard Music Hall. E que seu reporter-critico vai achar o máximo, pois NÃO reclamarão do som. Esta linha de montagem da mediocridade absoluta tenta passar por musica brasileira.  MUSICA???? Novamente, insisto: seria engraçada a descrição da gravação de um disco do tchan( vai em minúscula..). Um cantor( bom) um idiota gritando ao fundo, um bailarino musculoso que não consegue emitir um único som além de gugu-dada e duas gostosonas  que rebolam o rabo, e cuja frase mais inteligente já pronunciada foi "eu não tenho namorado". Nunca reclamarão do som. Pra que ? Por mais competente que fosse o engenheiro de som, jamais conseguiria captar o som de cu-dançante. Eles não vão reclamar.

E por que reclamariam?
 

ROQUEIROS

Chegamos, enfim, ao que o seu repórter-critico adora. ROCK. Pombas, eles nem reclamam... Reclamar de que?
Rock é incriticável( apud Paulo Francis..) Foi um ícone de revolução de costumes.Chamar esta bosta de musica é puro delírio. É o abastardamento do blues. E a contrafação da grande musica de Ellington, Porter, R.Rodgers. Berlin...)A miserabilidade harmônica e poética desta abominação caracterizarão este século. FOI um ícone da contracultura. Tá bem. Abastardado. Já cumpriu sua função social.
Brasil. Está na moda que Renato Russo é poeta. Putz. Rilke deve estar se revirando no túmulo. Basta dizer que Jerry Adriani virou cult????????????????????????
 Esta bosta tem como filosofo o Sr. Lulu Santos. Como cantorA: Cassia Eller. Como cantor: Cazuza. Como grupo, aiiiiiiiiii: titãs. Que alegrou a vida de seu reporter-critico. SEM reclamar do som. O melhor momento desta merda que seu repórter-critico adorou deve ter sido a homenagem aos mamonas assassinas. E NEM RECLAMARAM . Bela homenagem.
Afinal, numa única tolice, os mamonas fizeram um acorde diferente do habitual  no repertório dos titãs. Que devem ter ensaiado dias para descobrir uma porra de um mi-setima . Eles não conseguem mesmo sentir um único acorde além de seus soniferas-ilhas.
E os paralamas? O cara é muito melhor dando entrevista ( é articulado) do que tocando seu pseudo-reggae. Seu repórter-critico adorou, Sr. bigboss. E NEM RECLAMARAM.
 

Os Raps

É a última vertente aqui comentada. Que, como é justo esteticamente , fica melhor na pagina policial do que na de musica ou de artes.. O Percival de Souza, sujeito sensível, não permitiria . Seu filosofo maior, Gabriel, auto intitulado O Pensador, já nos dá a bula. Este PENSADOR,suponho, foi-lhe conferido pela mamãe, aspirante a jornalista, gostosíssima, que elegeu como seu guru o Sr., com o perdão do palavrão, Fernando Collor. E, bem ao gosto de seu repórter-critico, NEM RECLAMAM.

Reclamar de que????
Pelo menos estes reclamam da coisa certa. NÃO do som.
 
 

Sr. Fernão, big-boss do JT.
O seu repórter-critico de musica acha legal estes tipos descritos, preconceituosamentre,. Porque eles não reclamam do som.
Reclamar de que?????
Meu grito de alerta é para que talvez o Sr. reclame. Reclame deste ruído pusilânime que seu reporter-critico perpetrou nas paginas do JT.
Não posso deixar de registrar que na programação do Credicard Hall( que deve ser a fusão de teatro com drops de forte sabor..) ha o Chico Buarque. Poeta e compositor maior. Cujo show receberá a moldura dos arranjos e de grandes músicos. Sem reclamar. Chico cantará.
E porque reclamaria? Chico cantando só não é o pior cantor do mundo porque Tom Jobim
também , num momento insensato, resolveu cantar....

E, afinal, quem tem medo de João Gilberto?????

Os surdos. Os que temem a criatividade.( Da de todo mundo resolver pensar... Que tragédia.  ) Os "mudernos"(sotaque de Miguel Arraes)Os medíocres e os conformados. E o seu repórter-critico, que deve adorar quem não reclama.

Um abraço Sr. Fernão. Respeito sua inteligência. Que desta vez, deixou passar a burrice de seu reporter-critico.

Marcus Vinicius Mattos Garreta
 

[home] [galeria] [mais!] [intro]